segunda-feira, 21 de julho de 2008

Trecho da minha válvula de escape!

Ontem estava lendo um diário meu e decidi colocar aqui um trecho dele :D Então não é só por falta de criatividade :) hahaha

"Ando tentando não pensar em asneiras...Estou ocupando meu tempo vago com ´músicas, leituras e mais leituras e com polígrafos do Unificado.
É estranho esse vazio que ando sentindo. Percebi que quanto mais responsabilidade se tem, menos amigos se vê!
Sim a reciproca é verdadeita: 'Quando a vida profissional vai bem, o emocional desmorona.' São inversamente proporcionais! Parece que não páro mais! Sempre tenho algo acumulado pra fazer no fim-de-semana(que não descanso por conta do teatro). Aí me encontro solitária sem ninguém para me passar cola num teste diário de sobrevivência; a mamãe não mais chega com um Toddynho em mãos. Essa transição de fases é frustrante!
Quando somos crianças sempre temos algo para chamarmos de nosso: A mãe, o pai, o carrinho preferido, o gato...
gato...Pobre do meu gato, o D'Artagnan. Se ele dependesse de mim estava comendo a sí próprio...ainda bem que a mãe cuida dele!!!
Quem dera pudesse fechar os olhos e descansar por umas horas DOIS ANOS!
Ah...o meu cansaço... Ando tão cansada que isso está afetando diretamente o meu psicológico!

Ora pareço uma velha recalcada:
*Não estou mais saindo à noite;
*Não durmo nem sob protesto fora de casa;
*Brigo com todo mundo por motivos um tanto fúteis.

Ora pareço uma típica adolescente:
*Tenho crises existenciais a cada 2 semanas dias;
*Complexos grotescos;
*préocupação demasiada com a beleza.

Acho que dentre as ocilações de idades mentais...ainda prefiro ser velha!
Adolescente é tudo tosco! ¬¬
Escrever relaxa.
Vou ler. Até. Q´K "

Trecho retirado do meu diário. Dia 22 de abril de 2008.

Um comentário:

Lucy Jones disse...

É incrivel como todo adolescente quer ser adulto e "fazer o que quiser"... Não sei porque isso acontece. Sempre quando finalmente conseguem... Se perguntam "Porque minha mãe não tá aqui com o Toddynho..." Eu sei, e penso nisso todas as vezes que quero essa tal liberdade...
Eu não me arrisco á buscar as coisas do meu diário. São tão toscas quanto ridículas. aiuheiuaheuiaheuiaheiaiue
Belissimo texto ^^